Quem sou eu

Major da Brigada Militar, Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais, Especialista em Policiamento Ambiental, Tradicionalista. Muito obrigado, por acessar o meu blog. Participe deixando o seu recado.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

COREDE/FN participa da 1ª Conferência Estadual de Políticas de Segurança no Trânsito

Participaram como Delegados na Conferência, realizada no dia 15 de dezembro de 2011, no auditório do Ministério Público em Porto Alegre o Maj Vladimir Fernando Dalla Costa Ribas, representando o Presidente do COREDE/FN, o Capitão Valtair Dorneles, representando o 4º Batalhão de Polícia de Área de Fronteira e a senhora Geni Maria Seibel, coordenadora de Trânsito do município de Cândido Godói.




Organizador do encontro, o vice-governador Beto Grill explicou que a Conferência Estadual fecha um trabalho que incluiu a realização de nove encontros regionais para debater alternativas para reduzir o número de acidentes no trânsito. Ele também citou a série de iniciativas adotadas pelo Governo e apresentou números que apontam para a redução nas vítimas. “Nos últimos anos, tanto o número de veículos quanto o de mortes vinham aumentado. Em 2011, apesar do acréscimo de automóveis, diminuíram as vítimas fatais”, revelou. Ele também citou outras ações como o projeto Balada Segura que também vem ajudando a diminuir os índices de violência no trânsito da Capital (http://www.mp.rs.gov.br/noticias/id27152.htm)

sábado, 3 de dezembro de 2011

Semana Acadêmica 2011 - URI Santiago

No dia 31 de outubro, às 19:30 h, proferi palestra sobre "Tráfico de Animais Silvestres - Operação Trinca-Ferro", na Semana Acadêmica 2011 da Universidade Regional Integrada de Santiago.

Na foto estou recebendo da Profª Sisnara Amaral  uma lembrança de agradecimento.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Repraas presta homenagens


Caros amigos, compartilho esta homenagem que recebi no dia 11 de novembro de 2011, na cidade de Teutônia, pelo trabalho desenvolvido durante a Operação Trinca-Ferro em 2005.



Abaixo a noticia publicada em 12/11/2011, no

Jornal O informativo do Vale


Profissionais, cuja atuação contribui com a causa ambiental, receberam troféus em reconhecimento ao trabalho


Teutônia - Profissionais da segurança pública, Justiça e imprensa participaram do evento de apresentação do trabalho desenvolvido pela Rede de Proteção Ambiental e Animal (Repraas). Foram apresentadas palestras sobre as operações policiais na região em que houve apreensão de animais. Entre uma explanação e outra, o presidente da Repraas, Vladimir da Silva, anunciou a entrega das distinções aos profissionais que de uma forma ou de outra contribuíram com a causa. Estiveram presentes representantes da Polícia Civil, Brigada Militar, Corpo de Bombeiros, Ministério Público, entre outras entidades. “Esta solenidade é uma forma de homenagear as pessoas que atuam na região e direcionam o trabalho contra crimes ambientais”, observa Da Silva. O presidente da entidade reforça que a Repraas mantém um canal aberto para que sejam feitas denúncias de crimes contra animais e contra o meio ambiente. Entre os homenageados, o jornalista Emilio Rotta, editor de Polícia do jornal O Informativo, recebeu o troféu em agradecimento às coberturas jornalísticas pelas quais acompanhou algumas das operações policiais. “Senti-me muito feliz com a lembrança, porque a entidade gerida pelo Vladimir é de muita credibilidade e faz um serviço de extrema importância para os animais silvestres da região e do Estado”, comenta Rotta sobre o reconhecimento concedido pela Repraas.

Agraciados Paulo da Silveira - policial civil, Vanderlei Gerlach - policial civil, Emerson Musskoff - biólogo Rafael Kipper - policial civil, Jairo Marx - engenheiro florestal, Flávia Colossi Frey - delegada, Emílio Rotta - jornalista, André Prediger - promotor de Justiça, Vinícius Batista do Vale - delegado, Celso Duarte - jornalista, Renato Osterkamp - colaborador, Solete Maria Pretanol - Polícia Civil, Vladimir Ribas - major da Brigada Militar, Peterson Flores - cinegrafista Jair João Franz - promotor da Bebidas Fruki, Simone Wobeto - jornalista e Paulo Roberto Ullmenn - Polícia Civil


http://www.informativo.com.br/impresso/noticia/visualizar/id/9656

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

90 ANOS DE FELICIDADES


No dia 10 de setembro de 2011, foi comemorado os 90 anos da minha sogra, Olga Natividade Nascimento Batista, no salão da comunidade da Belizário em Santiago,.
Estiveram presentes os filhos, Neneca, Brasil, Vera, Alberto e Inez, além dos genros, Tarciso e Fernando, os netos Ramão, Juliano, Carina, Guilherme, Cristiano e Letícia, e os bisnetos Leonardo, Adriana, Bernardo e Laura.
Compareceu sua irmã Tereza, sobrinhos, afilhados e amigos.
Algumas fotos do aniversário:









quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Rio Grande do Sul Terra de Heróis

Expedicionário Cabo Norberto Henrique Weber

A história do nosso Estado foi escrita por homens, abnegados, de elevado sentimento patriótico e voltados na defesa do bem comum e da liberdade, e muitos desses fatos marcantes ocorreram em solo gaúcho, que estão presentes até hoje, outros no Brasil, que são lembrados eventualmente e aqueles que ocorreram em terras distantes, que são lembrados por quem os viveu.

Aqui queremos reverenciar os Veteranos que compunham a Força Expedicionária Brasileira, e que lutaram nos campos da Itália, contra os países do Eixo, Alemanha e Itália. Muitos deles voltaram outros deram sua vida, por aquilo que acreditavam ser o mais sagrado, a liberdade.

Assim é a história do Santarosense, Expedicionário Cabo Norberto Henrique Weber, nascido no dia 24 de março de 1924, filho de Pedro Weber e Dona Hilda Weber, e que no dia 24 de dezembro de 1943, passou a integrar o 6º Regimento de Infantaria (6º RI), da 3ª Região Militar.

No dia 02 de julho de 1944, embarcou junto com o 1º Escalão da Força Expedicionária Brasileira, e seu desembarque deu no dia 1já na Itália participou ativamente da tomada da cidade de Camaiori, nos três ataques a Monte Castelo, nos dias 24, 25 e 29 de novembro de 1944. Participou ainda da tomada cidades de Rocca Pitiglina, Le Vigne, Braine, Rancali, Santa Maria. Viliana, cotas 882, 822, 800 a oeste de Garre de Nerone, Marro Della Croce, cotas 702, 720, 722, Safra Lasso e Catelnuevo.

No dia 14 de abril de 1944, tombou bravamente em combate na região de Montese, do que foi registrado em seus assentamentos o seguinte elogio: “o Cabo Norberto Henrique Weber Chefe de Peça e Seção de Morteiros do Pelotão de Petrechos da Cia. Durante o deslocamento da Cia de La Torre para Serreto foi, na região de Montese atingido por estilhaços de granada durante o bombardeio que nessa ocasião colheu toda a Cia na estrada. Morreu instantaneamente como só poderia acontecer aos bravos no seu posto, de honra, a frente de sua peça. É mais um bravo, mais um herói, mais um Brasileiro que a Pátria guardou eternamente em seu coração.

O Poder Público de Santa Rosa como forma de homenagem a este herói, através do Decreto nº 072, de 26 de junho de 1946, denominou de Avenida Expedicionário Weber, o trecho da rua Cristóvão Colombo, situado entre a Praça da Bandeira e a Estrada Geral Esquina – Tuparendi.

Em 07 de setembro de 1947, Santa Rosa homenageou o Expedicionário Brasileiro na pessoa do Cabo Norberto Henrique Weber, junto a Praça da Bandeira, no centro da cidade.

Outra homenagem foi à criação da Escola Municipal da Vila Santos, com a denominação de Escola Municipal Expedicionário Weber, através do Decreto nº 26, de 05 de outubro de 1977.

Fica aqui o registro a este bravo Gaúcho Santarosense, que deu seu bem maior, sua vida, a causa da Liberdade.

sábado, 2 de julho de 2011

Força Expedicionária Brasileira embarca seu 1º Escalão

Hoje, há exatos 67 anos, no dia 02 de julho de 1944, num domingo, o 1º Escalão da Força Expedicionária Brasileira (FEB), sob o comando do general Zenóbio da Costa, com o contingente de 5.379 homens, embarcou no navio de transporte USS GENERAL MANN (AP-112), partindo do Rio de Janeiro com destino a Nápoles, na Itália, escoltado pelos destróiers brasileiros MARCÍLIO DIAS, MARIZ E BARROS e GREENHALGH.

Partida de pracinhas brasileiros para a luta contra o Eixo, da Baía da Guanabara

Foto: Gedoc/BM - CD-ROM II Guerra Mundial
(Agência Estado/jornal Estado de Minas, edição Revista Neo Interativa, S.Paulo/SP, 1995)
O embarque encerrou uma longa espera dos brasileiros para finalmente engajarem-se na batalha contra os países do Eixo, a Itália, a Alemanha e o Japão. Quando, em dezembro de 1942, Getúlio Vargas anunciou que o Brasil não se limitaria ao fornecimento de materiais estratégicos para os países aliados e à simples expedição de contingentes simbólicos ao front, muitos duvidaram.
Fazia parte deste contingente, o Quartel General da 1ª Divisão de Infantaria Divisionária (QG/1ª DIE); a 4ª Companhia do 11º Regimento de Infantaria (4ª/11º RI - São João Del Rey); a Companhia de Obuses do 11º Regimento de Infantaria (Cia. Ob./ 11º RI; o Pelotão de Morteiros da Companhia de Petrechos Pesados do 2º Batalhão do 11º Regimento de Infantaria (Perl. Mrt/CPP 2/11º RI); 2º Batalhão do 1º Regimento de Obuses Auto Rebocados (II/1º R.O.Au.R. - Campinho); o 1º Pelotão do Esquadrão de Reconhecimento (1º Pel/Esqd. Rec.); o 6º Regimento de Infantaria (6º RI - Caçapava); o Destacamento do 9º Batalhão de Engenharia (Dst. 9º BE); o Destacamento da Companhia de Transportes (Dst./Cia. Trans.); a Companhia Manutenção (Cia. Mnt.); o Pelotão de Polícia (Pel. Pol.); o Depósito de Intendência (Dep. Int.); o Destacamento da 1ª Companhia de Intendência (Dst. 1ª Cia. Int.); o Destacamento do 1º Batalhão de Saúde (Dst. 1º BS - Valença); o Grupo de Suprimento Hospitalar (Gr. Sup. Hosp.); a Justiça Militar, a Pagadoria Fixa, o Correio Regulador, 03 oficiais da Marinha de Guerra, 11 elementos do Banco do Brasil, 3 capelães e 3 correspondentes de guerra (Sílvio S. da Fonseca e 1 fotógrafo do Departamento de Imprensa e Propaganda - DIP e 1 fotógrafo do Exército).
A chegada no Porto de Nápoles, deu-se no dia 16 de julho, às 12:20 horas, também num domingo. No cais havia um destacamento norte-americano de quarenta e cinco homens e uma banda militar, para as honras militares.





Desembarque do 1º Escalão da FEB no porto de Nápoles, em 16 de julho de 1944
Foto: História do Século 20, volume 5 (1942/1956), Ed. Abril Cultural, São Paulo/SP, 1975

O desembarque em Nápoles colocou a tropa diante do quadro real da guerra: uma cidade semi-destruída, o céu coberto de balões para evitar ataques aéreos. A tropa deveria seguir, a pé, até a estação ferroviária de Bagnoli, e o destino seria um acampamento em Agnaro, distante 25 quilômetros, onde ficaria estacionada.
Cabo Norberto Henrique Weber, 3G-79583. 6º RI foi voluntário de Santa Rosa e embarcou no 1º Escalão.




segunda-feira, 20 de junho de 2011

II Encontro de Entusiastas da 2ª Guerra Mundial

Nos dias 18 e 19 de julho estive juntamente com o meu pai, Pedro Ribas e o meu filho Cristiano, participando do II Encontro de Entusiastas da 2ª Guerra Mundial, em São Bento do Sul, foi uma experiência muito gratificante.
Conheci o Sidão e sua esposa Jaqueline, o Paulo (CROSSIRON) o Alexandre, o Fábio, excelentes pessoas e super motivados.
Foi sem dúvida nenhuma um final de semana marcante, assistimos a pré-estréia do filme Heróis, a exposição de militaria, veículos militares antigos e dos veículos civis antigos.
Aqui vão algumas fotos:







quarta-feira, 15 de junho de 2011

Aniversário da Vó Amélia

No dia 12 de junho de 2011, comemoramos os 87 anos da vó Amélia com um almoço na churrascaria Tertúlia, em Santa Maria.
Participaram a tia Hildes e o Bruno, a minha mãe Adelir e o meu pai Pedro,o tio Nei, a tia Neuza e o Juliano; eu e minha esposa, a Inez, os piás, o Guilherme, o Cristiano e a Leticia; o Pietro e a sua namorada Luana e a dona Luci sogra do tio Nei.




terça-feira, 14 de junho de 2011

Projeto de Educação Ambiental "A VIDA À VENDA"

Em abril de 2006, elaborei o Projeto de Educação Ambiental "A VIDA À VENDA", que tinha por objetivo expor a forma cruel a que são submetidos os animais silvestres no comércio ilegal, flagrados na Operação Trinca-Ferro, realizada pela 3ª Companhia de Polícia Ambiental, IBAMA e Polícia Federal, colocada a termo no dia 14 de dezembro de 2005.

O projeto busca ainda, despertar a conscientização da comunidade de Santa Rosa e região para as conseqüências prejudiciais trazidas pelo tráfico às diversas espécies de animais silvestres, ao meio ambiente e ao homem.

A partir de junho do mesmo ano foram afixados cartazes no interior dos ônibus de transporte urbano, municipal e intermunicipais com partida de Santa Rosa. juntamente com esse material foi produzido "spot" contendo áudio divulgando o projeto e conscientizando para a não compra de animais silvestres oriundos do tráfico.

Este projeto sofreu solução de continuidade em agosto desse ano, em decorrência da minha transferência para o 4º Batalhão de Polícia de Área de Fronteira.

Abaixo estão imagens e os spots utilizados no projeto:


sábado, 4 de junho de 2011

Veterano Alfredo Luiz Dalla Costa



Vet. Alfredo Luiz Dalla Costa
Ex-combatente da 2ª Guerra Mundial
* 25/03/1920 + 24/06/2009

Filho de Ângelo Dalla Costa e Páscoa Panno Dalla Costa, nasceu em 25 de março de 1920, no Distrito de São Marcos, município de Santa Maria, RS, cresceu trabalhando na colônia ajudando seus pais e irmãos, Guilherme, João, Aurora e Carmelina.
Serviu no Exército Brasileiro em duas oportunidades, a primeira no serviço militar no período de 02 de maio de 1939 a 06 de abril de 1940 e depois quando convocado, de 11 de fevereiro de 1942 a 22 de agosto de 1945. No dia 08 de fevereiro de 1945 com 25 anos servindo no 6º Regimento de Infantaria (6º RI) da Força Expedicionária Brasileira – FEB –, tendo como Comandante o Ten Cel Ibá Jobim Meireles, embarcou para a Itália com o 5º Escalão, chegando ao Porto de Nápoles no dia 22 de fevereiro de 1945. Em solo italiano participou de diversos combates, após o término da guerra retornou ao Brasil em 17 de setembro de 1945 junto com o 2º Escalão, recebendo as medalhas, de Campanha, Medalha Marechal Cordeiro de Farias, Medalha Marechal Falconiére e a Medalha de Jubileu de ouro da Vitória II Guerra Mundial da Associação FEB do Rio de Janeiro.
Em 09 de julho de 1954 incluiu com o Soldado na Brigada Militar do Estado do Rio Grande do Sul, servindo no Serviço de Intendência, Quadro de Artífice, como marceneiro, tendo sido promovido as graduações de Cabo PM Artf em 16 de janeiro de 1958, a 3º Sargento PM Artf em 28 de junho de 1963, a 2º Sargento PM Artf em 20 de setembro de 1965 e a 1º Sargento PM Artf em 29 de junho de 1966, aposentando-se em 1974, no posto de SubTenente PM Artf.
Alfredo e Amélia construíram juntos nestes 63 anos uma vida familiar de dedicação e trabalho conquistando as expensas de seu labor melhores condições de vida a seus descendentes.


A filha Hildes casou duas vezes, do primeiro casamento nasceu Jorge Dalla Costa Aguiar, e o segundo, que perdura até hoje, com Paulo Paz Amaral (2º Sargento da Reserva da BM), nasceram os filhos Marco Antônio Dalla Costa Amaral e Rodrigo Luis Dalla Costa Amaral.Adelir casou em 20 de novembro de 1965, com Pedro de Mattos Ribas, (hojeTen Cel da reserva da BM), geraram os filhos Vladimir Fernando Dalla Costa Ribas (Major da BM), Paulo Ricardo Dalla Costa Ribas, Ana Taís Dalla Costa Ribas.
O filho Ronei (hoje Cel da reserva da BM) casou com Neusa Maria Porporatti, tendo como filhos, Gabriel Dalla Costa e Juliano Dalla Costa.
O vô Alfredo como era carinhosamente chamado teve os bisnetos Guilherme Batista Ribas, Cristiano Batista Ribas e Letícia Batista Ribas (filhos de Vladimir e Maria Inez), Pietro Luigi de Carvalho Ribas e Catherine Cardoso Ribas (filho de Paulo Ricardo) e Bruno Postal Amaral (filho de Rodrigo Amaral).
No dia 24 de junho de 2009, por volta das 08:00 horas, após ter tomado seu café da manhã e ao se recolher para o seu quarto para descansar foi vítima de infarto, estando presente a sua filha Hildes e Amélia, que prestaram socorro, não resistindo, veio a falecer.
O Veterano Alfredo Luiz Dalla Costa foi velado na capela mortuária do Cemitério Santa Rita de Cássia até as 09:00 do dia 25, de onde foi conduzido seu esquife até o cemitério de Arroio Grande onde o seu corpo foi sepultado com honras militares, toque de silêncio e salvas de tiros, feitas pela Guarda Fúnebre composta por integrantes da 6ª Brigada de Infantaria Blindada do Exército Brasileiro, de Santa Maria/RS, contando com a presença de seu Comandante, General de Brigada Haroldo Assad Carneiro.