Quem sou eu

Major da Brigada Militar, Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais, Especialista em Policiamento Ambiental, Tradicionalista. Muito obrigado, por acessar o meu blog. Participe deixando o seu recado.

sábado, 2 de julho de 2011

Força Expedicionária Brasileira embarca seu 1º Escalão

Hoje, há exatos 67 anos, no dia 02 de julho de 1944, num domingo, o 1º Escalão da Força Expedicionária Brasileira (FEB), sob o comando do general Zenóbio da Costa, com o contingente de 5.379 homens, embarcou no navio de transporte USS GENERAL MANN (AP-112), partindo do Rio de Janeiro com destino a Nápoles, na Itália, escoltado pelos destróiers brasileiros MARCÍLIO DIAS, MARIZ E BARROS e GREENHALGH.

Partida de pracinhas brasileiros para a luta contra o Eixo, da Baía da Guanabara

Foto: Gedoc/BM - CD-ROM II Guerra Mundial
(Agência Estado/jornal Estado de Minas, edição Revista Neo Interativa, S.Paulo/SP, 1995)
O embarque encerrou uma longa espera dos brasileiros para finalmente engajarem-se na batalha contra os países do Eixo, a Itália, a Alemanha e o Japão. Quando, em dezembro de 1942, Getúlio Vargas anunciou que o Brasil não se limitaria ao fornecimento de materiais estratégicos para os países aliados e à simples expedição de contingentes simbólicos ao front, muitos duvidaram.
Fazia parte deste contingente, o Quartel General da 1ª Divisão de Infantaria Divisionária (QG/1ª DIE); a 4ª Companhia do 11º Regimento de Infantaria (4ª/11º RI - São João Del Rey); a Companhia de Obuses do 11º Regimento de Infantaria (Cia. Ob./ 11º RI; o Pelotão de Morteiros da Companhia de Petrechos Pesados do 2º Batalhão do 11º Regimento de Infantaria (Perl. Mrt/CPP 2/11º RI); 2º Batalhão do 1º Regimento de Obuses Auto Rebocados (II/1º R.O.Au.R. - Campinho); o 1º Pelotão do Esquadrão de Reconhecimento (1º Pel/Esqd. Rec.); o 6º Regimento de Infantaria (6º RI - Caçapava); o Destacamento do 9º Batalhão de Engenharia (Dst. 9º BE); o Destacamento da Companhia de Transportes (Dst./Cia. Trans.); a Companhia Manutenção (Cia. Mnt.); o Pelotão de Polícia (Pel. Pol.); o Depósito de Intendência (Dep. Int.); o Destacamento da 1ª Companhia de Intendência (Dst. 1ª Cia. Int.); o Destacamento do 1º Batalhão de Saúde (Dst. 1º BS - Valença); o Grupo de Suprimento Hospitalar (Gr. Sup. Hosp.); a Justiça Militar, a Pagadoria Fixa, o Correio Regulador, 03 oficiais da Marinha de Guerra, 11 elementos do Banco do Brasil, 3 capelães e 3 correspondentes de guerra (Sílvio S. da Fonseca e 1 fotógrafo do Departamento de Imprensa e Propaganda - DIP e 1 fotógrafo do Exército).
A chegada no Porto de Nápoles, deu-se no dia 16 de julho, às 12:20 horas, também num domingo. No cais havia um destacamento norte-americano de quarenta e cinco homens e uma banda militar, para as honras militares.





Desembarque do 1º Escalão da FEB no porto de Nápoles, em 16 de julho de 1944
Foto: História do Século 20, volume 5 (1942/1956), Ed. Abril Cultural, São Paulo/SP, 1975

O desembarque em Nápoles colocou a tropa diante do quadro real da guerra: uma cidade semi-destruída, o céu coberto de balões para evitar ataques aéreos. A tropa deveria seguir, a pé, até a estação ferroviária de Bagnoli, e o destino seria um acampamento em Agnaro, distante 25 quilômetros, onde ficaria estacionada.
Cabo Norberto Henrique Weber, 3G-79583. 6º RI foi voluntário de Santa Rosa e embarcou no 1º Escalão.